sábado, 6 de junho de 2015

135- Le Portrait de Petit Cossette


A história deste anime centra-se à volta de Eiri Kurahashi, dono de uma loja de antiguidades, que, quando recebe uma encomenda de um cálice vindo de Veneza, começa a ficar obcecado por ele, isto antes de perceber que ele estava associado a aparições de uma figura feminina que começa a perturbá-lo seriamente após a chegada da encomenda. Essa figura é o espírito de uma menina aristocrata chamada Cossette d'Auvergne, que tinha sido assassinada pelo homem que a amava e que fazia muitos retratos pintados dela, Marcelo Orlando. O espírito dela descansava nesse cálice veneziano e despertou quando teve um pressentimento de que Eiri era herdeiro de Marcelo. Cossette considerou em vingar-se dele, com a condicionante de que os espíritos residentes nos objetos que lhe pertenciam, durante a sua vida terrena, (que foram transportados na mesma encomenda) revelavam igualmente um sentimento de insegurança em relação a Eiri. Para que Cossette pudesse finalmente descansar em paz, tendo o seu objetivo de vingança dado por terminado, ela teria de matar a próxima pessoa que a amasse.

E isso poderia correr bem, visto que Eiri não se apercebeu disto e, assim que viu Cossette, apaixonou-se por ela. Eis que surgem imensos flashbacks e uma data de acontecimentos apresentados numa espécie de non-sequitur ao longo do anime, provavelmente com a intenção de contar o desenrolar da história à pessoa que o está a ver. Percebe-se então que a alma de Eiri podia ser transportada para um local imaginário criado por Cossette, onde ele era torturado pela rapariga e passou inclusive por vários rituais sangrentos, um dos quais em que o coração de Eiri sofre uma tentativa de ser arrancado por Cossette, de modo a que pudesse morrer finalmente. No entanto, algo impedia este destino. Foi então revelado que Eiri não era um herdeiro de Marcelo, daí o fato do seu coração não ter sido desenraizado do peito.

Mesmo sabendo disto, Eiri dirigiu-se para o atelier de Marcelo (através de uma divisão criada por Cossette, após lhe ter sido perguntado onde é que se localizava o tal sítio) e pintou um retrato dela, com o seu próprio sangue. Acabado o retrato, todas as outras pinturas de Cossette desenhadas por Marcelo começaram a arder e a única que restou foi aquela que Eiri pintou. Graças a isso, o espírito de Cossette pôde finalmente descansar em paz.

Eu julgo que isto tenha ocorrido devido ao fato de Eiri ter tido uma grande ferida no coração, consequência do "ataque" anterior, por parte de Cossette e sabendo que ele jorrou muito sangue do corpo, o espírito considerou esta situação como uma espécie de morte e foi então libertado. Vocês aí, do outro lado da tela, não considerem este parágrafo uma certeza do que ocorreu no anime, isto é pura especulação!

Agora vamos às imagens:






Vídeo:

Sem comentários:

Enviar um comentário